skip to Main Content

Saúde apresenta óbitos represados no boletim; leitos SUS são habilitados

O Boletim da Secretaria de Saúde de Maringá desta terça-feira, 2, com o número de óbitos em decorrência da Covid-19, apresenta, em sua maioria, casos que ocorreram nos meses de janeiro e fevereiro. Por isso, o documento registra o número de 18 mortes. Por outro lado, o boletim mostra que a taxa de ocupação hospitalar, que na sexta-feira era de 100% para leitos SUS Covid-19, caiu para 74,67%.

A queda na taxa de ocupação hospitalar se deve à habilitação de 10 leitos de UTI SUS exclusivos Covid-19 e ampliação de 6 leitos de UTI geral em hospitais privados. Além dos 10 leitos que eram do Hospital Municipal e foram ativados na UPA Zona Sul nesta segunda, 1º, visando o atendimento dos pacientes com casos mais complexos da Covid-19.

As medidas de segurança que vinham sendo implementadas pela Prefeitura de Maringá associadas ao decreto do Governo do Estado na última sexta-feira geram a expectativa de melhora nos números da Covid-19 ao longo da semana. “O número de óbitos registrados hoje não deve assustar a população. Isso porque o boletim apresenta números que, em sua maioria, estavam represados”, comenta o secretário de Saúde, Marcelo Puzzi.

O boletim registra, por exemplo, dois óbitos que aconteceram em janeiro. Um homem, 77 anos, que internou no dia 18/10, teve alta no dia 11/12 e por complicações da doença faleceu no dia 7/1 em uma instituição de longa permanência de idosos. Outro teve a doença em 2020. Após obter alta, foi para casa. Com diabetes, Alzheimer e sequelas de um AVC, faleceu por complicações da Covid em 16 de janeiro.

Outros 14 casos aconteceram em fevereiro, inclusive um homem, 98 anos, que foi internado no dia 19/10/2020 e teve alta em 25/11. Por complicações da doença, faleceu dia 16 de fevereiro em domicílio. Apenas duas mortes, entre as 18, aconteceram ontem. “Existe toda uma investigação para termos a certeza da causa das mortes. Essa severidade que é fundamental para divulgarmos números corretos, às vezes causa este represamento”, explica o secretário da Saúde.
Dos 18 óbitos registrados no boletim, 12 homens são e seis mulheres. As idades variam entre 27 e 90 anos. Dois não tinham comorbidade e todos eram sintomáticos.

 

Compartilhe:

Este artigo tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top