skip to Main Content

Pesquisa com testes rápidos chega a terceira etapa com apoio de moradores

Está nas ruas de bairros de Maringá hoje, 17, terceira etapa de testes rápidos para pesquisa sobre coronavírus na cidade. Moradores têm recebido bem pesquisadores da parceria entre prefeitura , Universidade Estadual de Maringá (UEM), Uningá e Unicesumar. Trabalho será de  250 testes rápidos hoje. Total será de 950 testes, com resultado analisado pela UEM e servirá para Secretaria de Saúde fazer medidas preventivas contra coronavírus. “Acho válido essa pesquisa”, avaliou empresário Valter Alves Campos, 52 anos. “Tenho me informado, lendo sobre a situação. E tomo cuidados em casa e na minha empresa”.
Ele prontamente aceitou fazer o teste rápido quando foi abordado pelos pesquisadores no portão de sua casa no Jardim Império do Sol no começo da manhã. Teste de Campos deu negativo para coronavírus. Ele foi informado do resultado em torno de 15 minutos depois da coleta de sangue.
O primeiro a fazer teste hoje foi o policial militar Jeremias Dias Quaresma, 38 anos. Ele foi surpreendido em casa no Jardim Copacabana por volta das 8 horas. Mesmo sem saber que seria visitado, aceitou participar, fez teste e ficou sabendo que não está com coronavírus. Ele considera pesquisa importante e tem se informado e tomado cuidado com família de quatro pessoas.

A dona de casa Gloria Regina dos Santos, 54 anos, moradora do Jardim Diamante, aceitou fazer teste rápido. Resultado também deu negativo. Ela informou que toma cuidados para evitar ficar doente. Entre eles não sair de casa sem necessidade. E também se informa sobre situações de vizinhos e familiares, evitando ficar e lugares com muitas pessoas.

Quarta e última etapa será em 1º de julho. Chefe do Departamento de Análises Clínicas e Biomedicina e coordenador do Laboratório de Virologia Clínica da UEM,  Denis Bertolini, analisará dados dos 950 testes, passando dados para Secretaria de Saúde de Maringá.

Pesquisadores saem às ruas com crachá de identificação, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e aplicam questionários nos moradores que fazem teste. Roteiro das residências visitadas foi elaborado pelos departamentos de Geografia e de Estatística da UEM a partir de notificações sobre coronavirus nas 36 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) maringaenses.

• Saiba mais sobre pesquisa com testes rápidos.
Pesquisadores são identificados e usam EPIs
Foto: Aldemir de Moraes / PMM
Compartilhe:

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top